quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Catalisador com defeito aumenta consumo de combustível


Catalisador é o principal componente do carro responsável pela redução de poluentes ao meio ambiente. Além de ser obrigatório por lei, ele é fundamental para o bom funcionamento do motor. Em casos de defeito, o veículo sofrerá com aumento de consumo de combustível.

A melhor forma de conservar o catalisador é fazer corretamente a manutenção preventiva. Motor desregulado, velas sujas e injetores de combustíveis com defeito estão entre os principais vilões do catalisador. O uso de combustível batizado também pode prejudicar a peça.
Defeito na sonda lambda também pode danificar o catalisador. A sonda lambda é a responsável por fazer a medição no sistema de exaustão se a mistura de ar e combustível está no nível correto. Ela indica se a proporção desses dois componentes está adequada para a exigência de aceleração. Se ela está com problema, a mistura tende a ficar mais rica em combustível e a gasolina chegará ao sistema de exaustão sem ser queimada corretamente.
Efeitos
Caso o catalisador esteja com defeito, o motorista pode perceber os efeitos, além do consumo excessivo. Os principais são: aceleração com lentidão, arranque difícil  e perda de potência em velocidades próximas aos 80 km/h.
Fonte: http://goo.gl/dpZxHY

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

35 dicas para manter seu carro sempre novo.

Se gosta do seu automóvel e é seu desejo vê-lo sempre com uma boa aparência e com um ótimo desempenho, saiba que existem formas de o ajudar a conservar a sua viatura. Conheça as 35 dicas para manter o seu carro sempre novo e faça do seu veículo um modelo para os demais.

Na manutenção de um automóvel, existem vários truques e dicas para manter um automóvel sempre novo. São elas:
  1. Seja paciente na condução e adapte-se ao veículo. Para que o automóvel tenha uma boa prestação na estrada, é necessário que o condutor esteja adaptado ao seu veículo e que o seu veículo responda da melhor maneira aos comandos do condutor. Dessa forma, o automobilista deve ser ponderado e paciente na tomada de decisões na estrada.
  2. Conduza com precaução todos os dias. Ao adotar uma condução defensiva, o condutor está a zelar pelo bem-estar do seu automóvel e este agradecer-lhe-á ao não avariar com regularidade.
  3. Compre gasolina em estações de serviço confiáveis. Algumas estações de serviço não têm filtros de bomba, o que faz com que a gasolina seja mais suja. O condutor deve encontrar uma estação de serviço de confiança e manter-se fiel a ela, nem que o preço do combustível seja mais elevado.
  4. Não coloque gasóleo/gasolina quando os tanques de combustível de uma estação de serviço acabam de ser atestados. Ao encher os tanques de combustível de uma estação de serviço, a turbulência gerada pela entrada do combustível faz com que se levantem todo o tipo de sedimentos e estes podem entupir o filtro do combustível e os injetores.
  5. Mantenha a calma quando estiver com o veículo preso. Quando o condutor está preso com o seu carro na lama ou na neve, o ideal será manter a calma e não forçar a parte mecânica do automóvel. Se acelerar em demasia, ou se fizer muitas manobras, o veículo pode afundar-se ainda mais e pode estragar alguma peça do seu automóvel. O ideal, nestas circunstâncias, é balancear suavemente o automóvel de modo a conseguir libertar-se sem qualquer dano.
  6. Alivie o peso do seu porta-chaves e conduza apenas com uma chave na ignição. Não é aconselhável reunir todas as chaves que tem, num único porta-chaves porque todo esse peso danifica a ignição de um automóvel e faz com que esta deixe de funcionar.
  7. Faça médias de consumo com o automóvel. Mantenha um registo no porta-luvas com as médias dosconsumos de combustível efetuados. Se verificar que o seu automóvel está a consumir mais do que o suposto, esse poderá ser um indicador que algo não está bem com o veículo.
  8. Proteja o automóvel durante uma longa paragem. Se não vai utilizar o seu carro por mais de um mês deve-o guardar corretamente de modo a prevenir eventuais estragos no seu regresso. O condutor deve assim encher o depósito de combustível, para que o mesmo não ganhe ferrugem no tanque; desligar os cabos da bateria para que esta não fique descarregada; e lavar e encerar o carro para proteger o desgaste do exterior.
  9. Substitua as borrachas de vedação que estão gastas. Se as borrachas de vedação do seu automóvel estão gastas e deixam que a água das chuvas entre no interior do seu veículo, a melhor solução será substituí-las o quanto antes.
  10. Renove os estofos do automóvel. Se os estofos do seu automóvel apresentam uma cor e uma textura já desgastada, a melhor solução passa por renovar o seu visual. Ao mudar os estofos do seu automóvel, está a dar uma vida nova ao interior do veículo.
  11. Proteja a tinta do carro dos raios ultravioletas e estacione o automóvel à sombra. A tinta de um automóvel é a primeira linha de defesa contra as adversidades meteorológicas e protege o veículo do aparecimento da ferrugem. Dessa forma, deve ter muito cuidado com os raios ultravioletas, pois estes desgastam e corroem a tinta de um carro. Sempre que possível, deixe o veículo estacionado à sombra, numa garagem ou parque de estacionamento de forma a evitar a exposição prolongada ao sol.
  12. Retoque as falhas existentes na pintura. Para proteger o seu automóvel deve corrigir e retocar todas as falhas que possam existir na pintura do mesmo. Assim, está a proteger o seu automóvel e está a impedir a oxidação dos metais.
  13. Verifique o fluido dos travões. Deve apurar todos os meses o estado do fluido dos travões, assim saberá de antemão que os travões estão a funcionar a 100%. Deve ter em atenção que o fluido dos travões, ao estar em contacto com o ar, pode absorver a humidade e isso faz com que o fluido perca toda a sua eficácia.
  14. Cuide dos travões anti-bloqueio do veículo. Um sistema de travões anti-bloqueio é sensível à humidade e esta pode arruinar o sistema de ABS e romper as linhas de travões pelo seu interior.
  15. Cubra com fita adesiva os encaixes das lâmpadas partidas. Quando um farol ou uma luz está partida deve-a corrigir no imediato. Caso não consiga, é aconselhável cobrir com fita adesiva os encaixes das lâmpadas partidas, pois assim impede que esse compartimento se encha de água e humidade.
  16. Evite problemas na fixação de uma luz. Ao substituir uma lâmpada de um veículo, deve ter especial atenção se o compartimento está bem limpo antes de instalar a nova lâmpada.
  17. Conserte os arranhões existentes no para-brisas do carro. Quando o automóvel apresenta uma fenda no para-brisa, o condutor deve-o levar imediatamente a uma oficina de reparação de para-brisas. Ao fazê-lo está a impedir a substituição total do para-brisas e com isso estará a poupar muito dinheiro.
  18. Conserte o depósito da água do para-brisas. Com o avançar da idade é normal que o depósito do para-brisas apresente alguma fuga ou que esteja partido. Deve arranjá-lo de modo a nunca comprometer a sua visibilidade durante o ato de conduzir.
  19. Não exceda a capacidade de peso de um veículo. No manual do veículo consta o peso máximo que o veículo pode carregar. Dessa forma, nunca deve exceder a carga máxima recomendada pois assim todas as peças automóveis estarão a sofrer um maior desgaste e a sua substituição será inevitável.
  20.  Mantenha sempre à mão um cobertor velho. Nas situações em que necessita de transportar algum material no teto do seu automóvel (malas, bicicletas, entre outros) é aconselhável que coloque um cobertor entre a carga e a pintura do carro, de modo a evitar o aparecimento de arranhões.
  21. Amarre a carga da forma mais segura possível. Ao transportar uma determinada carga, o condutor deve amarrá-la da forma o mais fixa possível. Assim estará a impedir que a carga balanceie contra o carro e que faça todo o tipo de amolgadelas e arranhões.
  22. Inspecione o estado dos guarda-lamas do veículo. Trata-se de um dos acessórios mais frágeis de um automóvel, no entanto, é também um dos mais importantes porque impede que a água e a lama entrem no motor do automóvel.
  23. Encha o depósito do para-brisas com líquido de lavagem. Ao encher o depósito do para-brisas, deve utilizar apenas líquido de lavagem para ficar com o para-brisas a brilhar. Ao colocar água no depósito de água do para-brisas, a mesma pode congelar durante o inverno e isso não é aconselhável.
  24. Encere o automóvel de forma a proteger a sua pintura. Encerar um automóvel é uma tarefa que exige muito trabalho, contudo, a cera é um material indispensável na proteção da pintura de um carro. A cera permite retardar a oxidação de um veículo e possibilita a formação de uma barreira contra os excrementos dos pássaros e da poluição.
  25. Dê ao carro uma nova pintura. Se verificar que o seu carro está muito desgastado, a melhor solução será pintá-lo de novo. Assim estará a protegê-lo contra a corrosão e estará a zelar pelo seu conforto e bem-estar.
  26. Nunca coloque as suas ferramentas em cima do carro. Se está a planear fazer qualquer tipo de arranjo no seu veículo, não deve colocar as ferramentas em cima deste, pois o risco de arranhar o automóvel é muito elevado. Não arranje uma coisa e estrague outra.
  27. Avalie o estado das mangueiras do veículo. A cada dois meses, um condutor deve levantar o capô do seu veículo e verificar qual o estado das mangueiras do automóvel. Deve fazê-lo quando o carro está frio e desligado. Caso detete alguma mangueira partida, demasiado rija ou a fazer barulhos esquisitos, deve substituí-la imediatamente.
  28. Ligue o ar condicionado no inverno. Para manter o seu ar condicionado em condições para a próxima estação quente, o condutor deve ligá-lo durante o inverno. Assim, o fluido refrigerante estará a circular e vai manter os selos macios e maleáveis.
  29. Verifique a tensão exercida pelos cintos de segurança. Os cintos de segurança devem ser testados regularmente para ver em que estado está a tensão por eles exercida. Quando os cintos estão apertados demais, isso pode conduzir ao desgaste suplementar de outros componentes e acessórios, como o compressor do ar, a bomba de água, a bomba da direção assistida, entre outros.
  30. Tenha em atenção a bateria do carro. Deve verificar regularmente o estado da bateria de modo a aumentar a sua vida útil e evitar que a mesma fique em baixo quando, geralmente, uma pessoa mais precisa. O condutor deve apenas manter a bateria limpa, limpar os parafusos da mesma e ver se está danificada.
  31. Saiba que algumas baterias necessitam de água. Se a sua bateria tem tampas, deve retirá-las para ver em que estado se encontra o nível dos eletrólitos. Se o nível do eletrólito estiver abaixo das placas da bateria, o condutor deve acrescentar água destilada até repor novamente os níveis.
  32. Proteja sempre a bateria de um automóvel. Se, inadvertidamente, desligar o automóvel e deixar as luzes ligadas, a bateria do seu carro vai ficar descarregada. Para que tal não aconteça, o condutor deve ter o máximo de atenção de forma a economizar a vida útil da bateria do seu veículo.
  33. Sele um radiador permeável. Deve proteger o bom funcionamento do radiador do seu carro e, caso necessário, deve selá-lo de modo a impedir que exista alguma fuga ou vazamento.
  34. Verifique a direção do líquido de alimentação. Todos os meses, quando o carro ainda está quente, é necessário ver a direção do líquido de alimentação. Se o nível for baixo, é fundamental inspecionar o estado das mangueiras e das bombas para ver se existe alguma fuga.
  35. Escolha uma boa seguradora automóvel. Por vezes, por mais cuidadoso que um condutor seja, os acidentes são inevitáveis e acontecem. Dessa forma, deve ter um seguro automóvel que cubra as despesas e assuma as suas responsabilidades.
Fonte: http://goo.gl/rcrW9k

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Da água à revisão: confira 10 dicas para cuidar do 1º carro


Basta a pessoa comprar um carro para ouvir uma avalanche de informações desencontradas. Entre mitos, verdades e delírios algumas dicas podem ser importantes para conservação do seu automóvel e para evitar gastos desnecessários. Se você é motorista de primeira viagem e não entende nada sobre veículos, veja 10 recomendações simples que são fundamentais para os primeiros dias frente ao volante.

Revisão - Se ainda não deu dinheiro para um carro zero, o primeiro passo é fazer uma revisão detalhada da sua nova aquisição. Motor, freios, suspensão, parte elétrica, tudo precisa ser checado, por mais que o vendedor tenha usado aquela velha estratégia “que era carro de garagem e que foi todo revisado”. Óleos, fluido de freio e correias é recomendado trocar porque você não sabe quando foi feita a manutenção anterior. Procure uma mecânica de sua confiança. Se você comprou um carro novo, fique atento às datas das revisões obrigatórias indicadas pela montadora.
Mistura combustível - Carros flex podem usar qualquer mistura de combustível. Ponto. Todo o resto que você escutar é mito. Você pode usar sempre só álcool ou a vida toda gasolina que o motor não vai “viciar”, como dizem. Também pode misturar os dois nos percentuais que desejar. Com relação a qual combustível é mais vantajoso, é preciso fazer os cálculos. O álcool gasta mais e por isso só vale a pena se o preço está até 70% do valor da gasolina.
Óleo do motor - A primeira coisa a aprender é que não se olha o nível do óleo com o motor quente. Ele precisa estar desligado há pelo menos 10 minutos e o automóvel deve estar no lugar plano. Respeitado isso, você ou o frentista podem olhar o nível, que deve estar entre o mínimo e o máximo da vareta. Se estiver a baixo (é normal baixar um pouco), complete com o mesmo lubrificante recomendado pela montadora. E siga à risca os prazos de troca, que geralmente fica entre 10 mil e 15 mil quilômetros.
Água - Sim, o motor do seu carro também precisa de água. Mas não é só água. No sistema de arrefecimento vai também um aditivo para conservar as peças. Esse aditivo é recomendado pela montadora e deve ser trocado a cada 10 mil quilômetros. O liquido do arrefecimento (água e aditivo) também deve ser verificado com o motor frio. Se estiver pouco abaixo do nível, basta completar. Se seguir baixando, deve haver algum vazamento e é preciso procurar um mecânico.
Kit obrigatório e extintor - Vá se acostumando, enquanto você tiver carro eles serão sempre lembrados. No porta-malas fica o kit obrigatório com estepe, chave de roda, macaco e triângulo. Caso não estejam lá, trate de comprar. Sem eles, você será multado. O extintor também precisa estar no lugar. Olhe a data de validade. Mesmo sem nunca ser usado, ele tem que estar no prazo. E também não deve estar enrolado naquele plástico.
Garantia - Caso tenha tirado um carro novinho da concessionária, trate de estudar o manual do proprietário. Pode parecer chato, mas é extremamente importante. Ali estarão informações sobre a garantia. Não fazer as revisões e usar algumas peças não-recomendadas são situações que provocam a perda de garantia. Colocar som e alarme fora da concessionária, por exemplo, faz você perder a garantia do sistema elétrico.
Comum, Premium ou aditivada? - Essa é uma dúvida até dos motoristas experientes. Vamos lá. A comum é autoexplicativa, não tem componentes diferenciados. A aditivada é composta por uma série de detergentes especiais que tem como função evitar o acúmulo de sujeira no sistema de injeção. Já a Premium tem também os detergentes, mas trazem mais octanas, que são aproveitadas em motores com maior taxa de compressão, especialmente em motores mais potentes, 1.8 ou 2.0. Se você tem um carro popular, a Premium pouco terá efeito
Ar-condicionado - Primeiro: seu carro gasta mais combustível com o ar ligado, sim, em média 20% a mais. Segundo: você precisa ligar o ar mesmo no inverno, pelo menos uma vez por semana, para conservar o sistema. Terceiro: o botão da recirculação (aquele com uma seta que indica que o ar circulará somente na parte interna) não precisa estar sempre pressionado. Se você não estiver em áreas de engarrafamento ou empoeiradas, é bom às vezes deixar o ar entrar de fora. Quarto: o gás do ar não gasta. Só precisa ser trocado ou reposto se tiver problema no sistema. Pode usar à vontade que ele não gasta.
Direção hidráulica - Não é conversa de frentista, também é preciso conferir o óleo da direção hidráulica. O óleo não baixa caso esteja tudo correto no sistema. Se estiver abaixo do nível, é preciso completar e buscar uma empresa para checar o que está acontecendo.
Som e rodas - Antes de correr para uma loja de acessórios para colocar som e rodas novas, duas dicas são fundamentais. No caso das rodas, se pretende mudar o tamanho do aro é preciso consultar se a montadora permite. Alguns veículos são projetados para um tamanho de aro, outros não. Rodas fora da recomendação trarão problemas na suspensão e na estabilidade. No caso do som, é preciso ver se a bateria suporta os novos equipamentos para não correr o risco de empurrar seu novo patrimônio.
Fonte: http://goo.gl/MrRLiC

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

7 DICAS PARA CURTIR SUA MOTO SEM PERIGO


Boa parte dos acidentes pode ser evitada se o condutor da motocicleta estiver preparado e atento aos possíveis imprevistos do trânsito.
Para garantir tranquilidade e segurança na pista, confira 7 dicas simples de serem seguidas:
Equipamento de segurança
1. Sempre saia com capacete, tanto o condutor quanto o passageiro. Os modelos com adesivo refletivo facilitam que você seja visto por outros motoristas.
2. Se possível, procure usar pelo menos uma peça de roupa mais clara. Este cuidado facilita que sua motocicleta seja vista por todos.
Comportamento do motociclista
3. Procure manter o farol aceso também durante o dia para facilitar que os motoristas de carros e veículos grandes possam vê-lo.
4. Fuja dos pontos cegos dos outros veículos e prefira manter-se à direita em pistas rápidas.
5. Mantenha distância segura do veículo à sua frente e, conforme a velocidade aumenta, amplie ainda mais este espaço entre vocês.
Atenção nas pistas
6. Estradas com pouca manutenção ou que são antigas pode ter pontos de desgaste na junção de placas de concreto – o que rapidamente se transforma em armadilha do trânsito. Fique atento a estes locais para que possa desviar ou atravessar com cuidado.
7. Cascalhos na pista que ainda não se misturaram com a terra dificultam o equilíbrio e o controle da motocicleta. Procure manter aceleração constante e evite frear sem motivo.

Fonte: http://goo.gl/oUS1sr

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Quando devemos trocar os Amortecedores ?


O amortecedor é um dos componentes mais importantes da suspensão de um carro, é ele que assegura a estabilidade em freadas e curvas. Trabalha em conjunto com as molas controlando seus movimentos, para que a carroceria não fique oscilando e a mola não chegue ao final de seu curso. Esse componente fundamental para sua segurança da sinais quando chega o momento certo para troca-lo, e para saber esse momento você deve prestar atenção no comportamento do seu veículo, então vamos aos sintomas.damp2
Vazamento: O vazamento do fluído contido no amortecedor faz com que ele perca totalmente o seu funcionamento.
É facilmente diagnosticado, pois o óleo vaza e escorre pelo o amortecedor.
Estabilidade: Se você nota que seu veículo se comporta de forma diferente, como por exemplo, nas curvas parece escorregar e ter a tendência a passar direto fazendo você reduzir a velocidade ou freiar(sair de frente, para os mais técnicos Understeering.), ou pior, tem a tendência a rodar, a traseira derrapa fazendo você corrigir a direção(sair de traseira, Oversteering.) é sinal de que os amortecedores não estão mais agindo como deveria, se esse comportamento está freqüente, é por que eles já não estão mais funcionando.
Barulhos e vibrações: Fácil de notar, dirigindo por ruas e estradas esburacadas ou irregulares você além de sentir maior vibração do carro, notará também um barulho seco de algo batendo. O amortecedor não está mais controlando os movimentos da suspensão e está batendo no final de seu curso, neste momento apenas as molas atuam.
Roda quicando: Esse sintoma é simplesmente descarado, eu até brinco quando estou na rua por que sempre vejo carros com amortecedores vencidos. É simples, quando o veículo passa por irregularidades a roda devido a ausência do amortecedor fica “quicando”, ela sobe e desce muito rápido, é bem fácil pois chama atenção ao ver a roda vibrar. Peça para um conhecido seu acompanha-lo e prestar atenção nas rodas durante passagens irregulares.
A vida útil de um amortecedor é muito variável, depende das condições em que o veículo trafega e também de sua solicitação de carga, por exemplo, se você anda freqüentemente com o veículo carregado, o amortecedor brevemente irá deixar de funcionar.
As montadoras estabelecem alguns prazos, números como 30.000 e 60.000 quilômetros são comuns, mas como foi dito acima, esse número pode variar.
Dica: Para saber se seu amortecedor já está “morto”,  posicione-se em um ponto do veículo mais próximo dele e comece a empurra-lo para baixo, o amortecedor em bom estado logo no segundo empurrão irá se opor ao movimento. Já o amortecedor em fim de vida você facilmente empurrará o veículo várias vezes, além da carroceria do veículo continuar oscilando mesmo você não empurrando mais.
Agora você já sabe, faça sempre a troca preventiva de seus amortecedores assim que os sintomas acima aparecerem, não por apenas questão de economia e sim, por segurança.

Fonte: http://goo.gl/AnJi9T

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Veja 15 dicas para economizar combustível no carro


Não existe mágica. A receita para economizar combustível com seu carro é a combinação de três atitudes: dirigir de maneira correta, manutenção em dia e tomar cuidado ao escolher o combustível na hora de abastecer. Práticas simples, como calibrar os pneus, podem fazer muita diferença no consumo. Ouvimos especialistas e separamos 15 dicas que podem fazer você poupar dinheiro nas próximas paradas em um posto.
1 - Pneus calibrados - Pneus murchos ou com a calibragem errada influenciam diretamente no consumo. A calibragem deve ser feita no máximo a cada 15 dias, seguindo as orientações das montadoras para pressão, que é diferente para traseira e dianteira e se o veículo está carregado ou não. A indicação de calibragem está no manual do proprietário ou em um adesivo na tampa do tanque ou na porta carro. Os pneus podem ser responsáveis por até 20% do consumo.
2 - Peso - A lógica é simples. Um carro mais pesado precisa de maior aceleração para movimentar-se. Quando mais carregado, mais o veículo consome. Por isso, é fundamental observar no manual do proprietário o peso máximo recomendado pelas montadoras. Estudos mostram que 40 quilos de excesso de peso aumentam o consumo em até 2%. Faça uma revisão nos objetos inúteis deixados no porta-malas.
3 - Troca de marcha - A troca de marcha faz muita diferença no consumo. Todos os veículos trazem no manual do proprietário a velocidade certa para a mudança, que deve levar em conta o torque do carro. Um carro a 40 km/h não pode estar em 5ª marcha, por exemplo. Assim como você não deve chegar a 100 km/h em segunda. Nos dois casos estará gastando mais do que o necessário. O uso do câmbio de ser suave, sem necessidade de “espichar” até o fim.
4 - Aceleradas - Evite aceleradas bruscas e desnecessárias. Isso afetará muito a média de combustível. Também não há necessidade de ficar aquecendo o carro pela manhã antes de sair da garagem. Nos modelos com injeção esse aquecimento é feito automaticamente pelo sistema. Nos carros zero quilômetro é recomendado deixar o veículo ligado na primeira partida por alguns minutos nos primeiros 1 mil quilômetros. No demais, basta ligar e sair rodando.
5 - Aditivada - Em um primeiro momento, a aditivada não influencia no consumo do carro. A função dela é manter a limpeza e preservar o motor. Mas um motor mais limpo e sem desgaste pode apresentar melhora de desempenho, o que inclui economia de combustível a médio prazo.
6 - Velas - As velas estão entre os itens de manutenção que mais influenciam no consumo dos carros.  Elas precisam ser trocadas exatamente com a quilometragem recomendada pela montadora, que varia de modelo para modelo. E quando uma estragar, todo o jogo deve ser substituído por peças com as mesmas especificações. A função das velas é gerar energia na câmara de combustão para iniciar a queima da mistura ar/combustível. Se ela está ruim, essa queima fica irregular, o que reflete diretamente no aumento do combustível injetado.
7 - Vidros abertos - Andar com os vidros abertos interfere na aerodinâmica do carro e no consumo de combustível, especialmente a mais de 80 km/h.
8 - Evite apetrechos - Antes de instalar qualquer acessório no carro, consulte um especialista. Objetos que mudam as características originais tendem a provocar maior resistência contra o ar. Aerofólios, suportes e rodas fora do padrão, por exemplo, influenciam diretamente na aerodinâmica e, consequentemente, no aumento do consumo.

  •  9 - Combustível de boa qualidade - Nada mais prejudicial para o carro do que combustível batizado. Gasolina com querosene ou etanol com água interferem muito na média de combustível porque a leitura do sistema de injeção eletrônica é afetada pela composição errada. Por isso, abasteça sempre em postos com o selo da ANP e dê preferência a grandes redes.
10 - Atenção no trânsito - Seu comportamento no trânsito é fundamental para economia de combustível. Próximos aos semáforos, por exemplo, diminua a velocidade se o sinal estiver vermelho. Assim, não é preciso parar completamente e a retomada da velocidade será mais suave. Evite aquele ziguezague entre os carros. Isso só causa estresse e aceleradas desnecessárias. E abandone o hábito de acelerar o carro antes de desligá-lo.
11 - Filtros - Os filtros de ar e combustível precisam ser trocados nas datas previstas pelas montadoras, sem desculpas. Em caso de entupimento, eles interferem diretamente na mistura de ar e combustível na câmara de combustão, o que faz o veículo gastar mais, já que a mistura fica irregular.
12 - Ar condicionado - Você não vai passar calor, claro. Mas em dias de temperaturas amenas é possível desligar o ar condicionado. Ele aumenta, em média, 20% o consumo do veículo.
13- Sem banguela - Aquele costume antigo de deixar o carro em ponto morto em descidas, a “banguela”, é coisa do passado. O veículo deve ficar sempre engrenado. Assim, gasta menos combustível do que se estiver em ponto motor. A injeção eletrônica identifica que não é preciso aceleração e corta o combustível.  Evitar a banguela também é questão de segurança porque o carro aproveita o freio-motor.
14 - Rodas alinhadas - O alinhamento das rodas é fundamental para aerodinâmica do carro. Se o veículo está fora de geometria, as rodas serão arrastadas, em vez de somente girar. Automóvel alinhado, sim, economiza combustível.
15 - Excesso de velocidade - Para sua segurança e economia, respeite os limites de velocidade. Um carro consome cerca de 20% a mais quando está a 100 km/h do que quando está a 80 km/h.
Fonte: http://goo.gl/5urTMj

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Como escolher o combustível do meu carro flex?


Com a alta do preço da gasolina no Brasil, alguns motoristas já começam a fazer cálculos nos postos de gasolina para decidir qual combustível é o mais indicado para o seu carro flex. No entanto, na hora de encher o tanque é normal que os usuários tenham dúvidas em relação as vantagens e desvantagens de cada combustível. Afinal, qual deles é melhor para o carro? E qual possui melhor custo benefício?
Para começar, um carro com tecnologia flex é aquele veículo com motor biocombustível. Ou seja, pode funcionar tanto com etanol como com gasolina. Essa tecnologia é 100% brasileira e foi lançada em 2003 com o modelo do Volkswagen Gol 1.6. Graças a ela hoje 90% dos carros nacionais saem de fábrica com esse tipo de motor.
Entre as principais vantagens de contar com um motor flex está a possibilidade de escolher qual combustível utilizar e não ficar refém da alta do preço do petróleo. Mas qual deles é melhor para o veículo?
Não existe um combustível melhor que o outro, e sim características diferentes que podem agradar mais um motorista que outro. Ao escolher qual combustível usar, o único conselho dos especialistas é que o usuário alterne o consumo a cada 6 meses (principalmente no caso do etanol) para evitar que a bomba do combustível entupa devido a reações químicas.

Mas como escolher entre etanol e gasolina?

Antes de escolher o combustível do seu carro, é preciso atenção a alguns detalhes. Primeiro: o consumo do etanol é sempre maior que o consumo da gasolina, por isso o seu preço é relativamente mais baixo. Mas isso significa que usar etanol é sempre sinônimo de economia, porque o seu rendimento é menor que a gasolina. Por exemplo, o carro movido a álcool consome até 30% mais percorrendo a mesma distância que um veículo a gasolina.
Por isso, para escolher o melhor custo benefício não basta apenas optar pelo preço mais baixo. É necessário fazer contas! O lado bom é que calcular qual dos dois vale mais a pena é fácil. ;)
Para isso, basta multiplicar o valor do litro da gasolina por 0,7. Se o resultado for superior ao preço do litro do álcool você deve escolher o etanol, mas se o valor for inferior ao valor do litro do álcool então você deve escolher a gasolina para encher o tanque.

.carro flex

Caso prático! O motorista vai abastecer o tanque do carro e encontra os seguintes preços: R$ 2,90 para o litro da gasolina e R$ 2,27 para o litro do etanol. Qual vale a pena?
Conta rápida: para a gasolina 2,90 x 0,7= 2,03 (MENOR que o preço do etanol); para o etanol 2,27 x 0,7= 1,58 (MENOR que o preço do etanol). Nesse caso o ideal para encher o tanque é com gasolina. :)

gasolina e etanol

É necessário cuidado na hora de trocar o combustível?

Sim, mas sem exageros. Por exemplo, é errada a ideia de que o motorista deve usar sempre um único combustível para não estragar o motor, como também é falso o argumento que o abastecimento deve ser alternado para não viciar o motor.
Ou seja, é possível sim misturar os dois combustíveis e com isso o motorista pode rodar tranquilo sem precisar esperar terminar um para colocar o outro. O único cuidado é quando o tanque estiver quase vazio e o motorista deseje alterar o combustível. Isso porque pode ser necessário esperar até 15 minutos para que o motor absorva o novo combustível (seja etanol ou gasolina) para que ele não “afogue”.
Por isso, o recomendado é sempre alternar enquanto o tanque não chegou na reserva. Igualmente, o ideal é nunca rodar com o carro com pouco combustível porque pode provocar problemas na bomba do motor.
Tem um carro flex e ficou com dúvidas sobre como abastecer? Aproveite esse post e deixe o seu comentário pra gente! 

Fonte:  https://goo.gl/tucrP9