quinta-feira, 28 de abril de 2016

7 dicas de limpeza e manutenção do seu carro


Mais do que uma medida estética, a limpeza de seu carro está ligada à boa manutenção. Siga as dicas:
1. Fezes de pássaros, chuva ácida e até poeira podem causar marcas na pintura que não saem mais. Daí a importância de manter o carro sempre limpo por fora. Quando essas coisas acontecerem, mande limpar imediatamente.
2. A lavagem deve ser com sabão neutro e, no máximo, cera. Fuja de quem oferece outros tratamentos mirabolantes.
3. Mantenha as rodas sempre limpas. Cachorros são atraídos por elas para fazer xixi, o que chama outros cães e, aos poucos, a acidez pode deteriorá-las. Mantenha os bichos longe do carro.
4. Em regiões com muitos lagos, é comum que o veículo seja afetado por libélulas. Isso mesmo. Especialistas dizem que elas confundem o carro com a água e depositam nele seus ovos, que acabam prejudicando a pintura.

5. Quem mora no litoral deve ter cuidado redobrado com o automóvel, pois a maresia faz com que o carro se deteriore mais rapidamente. O segredo é mantê-lo sempre limpo.

6. Desligue o ar-condicionado três minutos antes de chegar ao destino. Isso faz com que a umidade no sistema seja retirada, evitando a proliferação de fungos e bactérias.

7. Faça sempre uma limpeza por dentro do carro. Restos de alimentos, por exemplo, podem atrair insetos e outros bichos indesejáveis.

Fonte: http://goo.gl/Tz6fHg

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Consumo de combustível pode aumentar na chuva; entenda


Parece mais um daqueles mitos sobre carros, mas o consumo de combustível pode aumentar quando está chovendo. O gasto maior ocorre devido à maior dificuldade de tração acionamento de equipamentos eletrônicos.

Calma, não é um gasto espantoso para fazê-lo deixar o automóvel em casa em dias chuvosos. Caso a chuva seja leve e a quantidade de água acumulada no asfalto não seja significativa, o consumo será o mesmo que com o tempo seco.

Mas se a chuva estiver muito forte e a lâmina de água formada na pista for o suficiente para exigir maior esforço do carro para ultrapassá-la, é provável que o consumo seja alterado justamente pela potência extra que o carro precisa.

Como esse tipo de chuva não dura muito tempo, não é possível assegurar o quanto o carro consome mais combustível, mas o gasto é certo. Isso fica nítido em uma viagem sob um temporal. Além disso, outros fatores contribuem para o gasto extra. O uso mais frequente dos limpadores e desembaçadores e o ar condicionado retiram uma parte da potência do motor, fazendo com que ele trabalhe mais para manter o ritmo do carro.

Cuidado com enchentes

Alguns cuidados devem ser tomados para atravessar um ponto alagado. Antes de decidir se deve atravessar ou não o trecho, fique de olho nos carros em volta. Se a altura da água estiver até a metade das rodas, é melhor desistir. Procure um local mais alto e espere a água baixar. É claro que essa referência é relativa. Se você estiver em um carro mais alto, como um SUV, por exemplo, essa medida é diferente.

|Fonte: http://goo.gl/FoFlZa|

terça-feira, 26 de abril de 2016

10 dicas para manter o carro sempre novo



Como todas as máquinas, o carro é um equipamento que exige cuidados para "viver" por mais tempo. Medidas simples e preventivas podem alongar a vida útil da sua "viatura", e não estamos falando só da carcaça, é preciso ficar de olho na forma de condução e nos cuidados básicos, que se feitos em dia, podem valorizar o automóvel na venda, além de garantir economia e segurança ao proprietário.

Confira 10 dicas que prolongam a vida do possante do motor à pintura:

1. Manter os pneus sempre calibrados: Segundo pesquisa encomendada pela Michelin, 45% dos motoristas rodam com a pressão fora dos limites recomendados. Uma pressão abaixo da recomendada reduz a durabilidade do pneu (em pelo menos 8.000 km), aumenta o consumo de combustível e favorece o risco de explosão e acidentes na pista.

2. Verificar sempre o nível do fluído do radiador: O radiador resfria o motor do carro fazendo circular o fluido de arrefecimento. Se há vazamento no sistema, o fluido fica no nível baixo, fazendo o motor superaquecer e causando danos potencias no veículo.

3. Verificar o nível de óleo: É recomendado verificar o nível de óleo antes de fazer o veículo funcionar pela primeira vez no dia. O óleo serve para lubrificar, limpar, proteger e ainda ajuda na refrigeração do motor. Se estiver muito velho ou abaixo do nível ideal, o funcionamento do carro fica prejudicado e a vida útil da máquina diminui. Faça isso a cada duas semanas.

4. Abastecer sempre em postos de confiança: Este item é mais que óbvio! Gasolina adulterada prejudica o veículo por inteiro. 

5. Cuidado para não perder a garantia: Fique de olho no prazo da garantia, é sempre melhor para o automóvel ter as peças originais de fábrica.

6. Conferir parte elétrica: Com o impulso dos avanços tecnológicos, 90% do funcionamento do carro está relacionado a parte elétrica. Falha na buzina, nas luzes e no trio elétrico mostram que algo está desconectado. Fique atento aos mínimos sinais e verifique sempre a parte elétrica para não ter surpresa em trajetos curtos e estradas. 

7. Cuidado com a lavagem do carro: Alguns tipos, como lavagem a seco com esfregões enormes, podem prejudicar a pintura e até a lataria do carro.

8. Conduzir com precaução: Seu carro não é um super herói. Cuidado na condução evita prejuízos a curto prazo, como pisar bruscamente na embreagem, passar de lado nas lombadas, fazer esforço no volante durante as curvas, arrancar em subidas gastando pneus etc. Cautela em todos os movimentos. 

9. Cautela na hora de estacionar: Estacionar com as rodas viradas pode prejudicar o braço da suspensão.

10. Fique de olho nos ruídos da suspensão: A suspensão é responsável pela estabilidade do veículo. Ela absorve, por meio dos seus componentes, todas as irregularidades do solo e também mantem as quatro rodas no chão para auxiliar no desempenho do automóvel. É importante fazer alinhamento uma vez por mês e ficar atento aos barulhos estranhos do carro para evitar prejuízos maiores lá na frente.


Fonte: http://www.areah.com.br/vibe/prevencao/materia/80739/1/pagina_1/10-dicas-para-manter-o-carro-sempre-novo.aspx

segunda-feira, 25 de abril de 2016

15 dicas para economizar combustível no carro


Não existe mágica. A receita para economizar combustível com seu carro é a combinação de três atitudes: dirigir de maneira correta, manutenção em dia e tomar cuidado ao escolher o combustível na hora de abastecer. Práticas simples, como calibrar os pneus, podem fazer muita diferença no consumo. Ouvimos especialistas e separamos 15 dicas que podem fazer você poupar dinheiro nas próximas paradas em um posto.

1. Pneus calibrados - Pneus murchos ou com a calibragem errada influenciam diretamente no consumo. A calibragem deve ser feita no máximo a cada 15 dias, seguindo as orientações das montadoras para pressão, que é diferente para traseira e dianteira e se o veículo está carregado ou não. A indicação de calibragem está no manual do proprietário ou em um adesivo na tampa do tanque ou na porta carro. Os pneus podem ser responsáveis por até 20% do consumo.

2. Peso - A lógica é simples. Um carro mais pesado precisa de maior aceleração para movimentar-se. Quando mais carregado, mais o veículo consome. Por isso, é fundamental observar no manual do proprietário o peso máximo recomendado pelas montadoras. Estudos mostram que 40 quilos de excesso de peso aumentam o consumo em até 2%. Faça uma revisão nos objetos inúteis deixados no porta-malas.

3. Troca de marcha - A troca de marcha faz muita diferença no consumo. Todos os veículos trazem no manual do proprietário a velocidade certa para a mudança, que deve levar em conta o torque do carro. Um carro a 40 km/h não pode estar em 5ª marcha, por exemplo. Assim como você não deve chegar a 100 km/h em segunda. Nos dois casos estará gastando mais do que o necessário. O uso do câmbio de ser suave, sem necessidade de “espichar” até o fim.

4. Aceleradas - Evite aceleradas bruscas e desnecessárias. Isso afetará muito a média de combustível. Também não há necessidade de ficar aquecendo o carro pela manhã antes de sair da garagem. Nos modelos com injeção esse aquecimento é feito automaticamente pelo sistema. Nos carros zero quilômetro é recomendado deixar o veículo ligado na primeira partida por alguns minutos nos primeiros 1 mil quilômetros. No demais, basta ligar e sair rodando.

5. Aditivada - Em um primeiro momento, a aditivada não influencia no consumo do carro. A função dela é manter a limpeza e preservar o motor. Mas um motor mais limpo e sem desgaste pode apresentar melhora de desempenho, o que inclui economia de combustível a médio prazo.

6. Velas - As velas estão entre os itens de manutenção que mais influenciam no consumo dos carros. Elas precisam ser trocadas exatamente com a quilometragem recomendada pela montadora, que varia de modelo para modelo. E quando uma estragar, todo o jogo deve ser substituído por peças com as mesmas especificações. A função das velas é gerar energia na câmara de combustão para iniciar a queima da mistura ar/combustível. Se ela está ruim, essa queima fica irregular, o que reflete diretamente no aumento do combustível injetado.

7. Vidros abertos - Andar com os vidros abertos interfere na aerodinâmica do carro e no consumo de combustível, especialmente a mais de 80 km/h.

8. Evite apetrechos - Antes de instalar qualquer acessório no carro, consulte um especialista. Objetos que mudam as características originais tendem a provocar maior resistência contra o ar. Aerofólios, suportes e rodas fora do padrão, por exemplo, influenciam diretamente na aerodinâmica e, consequentemente, no aumento do consumo.

9. Combustível de boa qualidade - Nada mais prejudicial para o carro do que combustível batizado. Gasolina com querosene ou etanol com água interferem muito na média de combustível porque a leitura do sistema de injeção eletrônica é afetada pela composição errada. Por isso, abasteça sempre em postos com o selo da ANP e dê preferência a grandes redes.

10. Atenção no trânsito - Seu comportamento no trânsito é fundamental para economia de combustível. Próximos aos semáforos, por exemplo, diminua a velocidade se o sinal estiver vermelho. Assim, não é preciso parar completamente e a retomada da velocidade será mais suave. Evite aquele ziguezague entre os carros. Isso só causa estresse e aceleradas desnecessárias. E abandone o hábito de acelerar o carro antes de desligá-lo.

11. Filtros - Os filtros de ar e combustível precisam ser trocados nas datas previstas pelas montadoras, sem desculpas. Em caso de entupimento, eles interferem diretamente na mistura de ar e combustível na câmara de combustão, o que faz o veículo gastar mais, já que a mistura fica irregular.

12. Ar condicionado - Você não vai passar calor, claro. Mas em dias de temperaturas amenas é possível desligar o ar condicionado. Ele aumenta, em média, 20% o consumo do veículo.

13. Sem banguela - Aquele costume antigo de deixar o carro em ponto morto em descidas, a “banguela”, é coisa do passado. O veículo deve ficar sempre engrenado. Assim, gasta menos combustível do que se estiver em ponto motor. A injeção eletrônica identifica que não é preciso aceleração e corta o combustível. Evitar a banguela também é questão de segurança porque o carro aproveita o freio-motor.

14. Rodas alinhadas - O alinhamento das rodas é fundamental para aerodinâmica do carro. Se o veículo está fora de geometria, as rodas serão arrastadas, em vez de somente girar. Automóvel alinhado, sim, economiza combustível.

15. Excesso de velocidade - Para sua segurança e economia, respeite os limites de velocidade. Um carro consome cerca de 20% a mais quando está a 100 km/h do que quando está a 80 km/h.

Fonte: http://goo.gl/6J94JZ

quinta-feira, 17 de março de 2016

12 formas básicas de cuidar do motor do automóvel


Para retirar o máximo rendimento de um carro é necessário zelar pelo bem-estar do motor automóvel. Conheça as 12 formas básicas de cuidar do motor do automóvel e saiba que ao colocá-las em prática está a garantir o melhor desempenho do veículo na estrada e a aumentar a sua vida útil.
1. Verifique o óleo do motor. Para verificar o óleo do motor tem de abrir o capô do seu automóvel e puxar a vareta do óleo que se encontra junto ao motor. Deve fazê-lo quando o automóvel está frio para ver qual é o nível real do óleo.

2. Mude o óleo com regularidade. Ao mudar o óleo do seu carro com regularidade está a fazer com que o seu automóvel se mantenha cada vez mais “saudável” e que o seu motor tenha uma vida útil maior.

3. Não sobrecarregue o cárter do motor. Ao encher em demasia o cárter do óleo isso pode conduzir ao sobreaquecimento do motor e daí podem resultar acidentes de viação.

4. Limpe a tampa do óleo. Quando o condutor efetua a mudança de óleo do seu automóvel, é aconselhável que limpe sempre a respetiva tampa, uma vez que algumas tampas são magnetizadas e levam consigo partículas de metal.

5. Não se esqueça de substituir os filtros. Existem diversos filtros muito importantes na constituição de um automóvel, como o filtro do ar, do óleo, do combustível, entre outros. Todos eles têm como missão a proteção do motor e devem ser substituídos de acordo com as datas do manual do fabricante.

6. Verifique o estado da válvula de ventilação. A válvula de ventilação é um dispositivo de controlo de emissões em veículos mais velhos e o condutor deve certificar-se que o seu automóvel tem uma. A sua utilização impede danos no motor do carro.

7. Utilize o óleo recomendado no manual do veículo. O grau de óleo mais pesado não quer dizer necessariamente que seja o melhor para o seu automóvel. O grau de óleo mais leve possibilita uma melhor proteção do motor durante o inverno e provoca menos atrito interno dentro do próprio motor.

8. Assegure o bom funcionamento da transmissão do automóvel. A transmissão do automóvel é uma das componentes mais importantes de um carro e, como tal, deve estar atento à sua manutenção. O condutor deve alterar o fluido da transmissão automática e deve alterar o seu filtro nos primeiros 8.000 quilómetros e depois a cada 50.000 quilómetros.

9. Considere a adição de óleos refrigeradores. Os óleos refrigeradores têm um baixo custo e são de extrema importância para o bom funcionamento do radiador e para o aumento da vida útil do motor e da transmissão.

10. Tenha em atenção o estado das velas da ignição. Com o advento da ignição eletrónica e os computadores de bordo, a parte elétrica do automóvel ficou sobrecarregada e, como tal, é necessário mudar regularmente as velas de um veículo. Em média, é necessário trocar as velas de um automóvel a cada 50.000 quilómetros.

11. Tenha em atenção o estado da correia de distribuição. A correia de distribuição é essencial para o bom funcionamento de todas as peças automóveis. É fundamental substituí-la segundo a data que consta no manual do fabricante, caso contrário os estragos no motor poderão ser irreparáveis.

12. Limpe o motor do automóvel. Existem várias razões para lavar o motor e deve fazê-lo de ano em ano ou a cada dois anos. Um motor limpo vai trabalhar melhor e vai permitir que o condutor detete atempadamente uma fuga ou vazamento.
Fonte: http://amolgadelas.com/artigos/12-formas-basicas-cuidar-motor-automovel

segunda-feira, 14 de março de 2016

Como não deixar o carro morrer - Aprenda a dirigir de uma maneira fácil


O que é deixar o carro morrer

É praticamente impossível nunca ter ouvido falar sobre o carro morrer ou carro estancar, até mesmo porque isso acontece com absolutamente todos os motoristas, pelo menos algumas vezes na vida.

Existem várias expressões para nomear a parada repentina do carro, como: deixar o carro morrer, estancar o carro, afogar, ir abaixo etc.

As expressões são as mais diferentes possíveis, de acordo com a região do Brasil do motorista, mas todas querem dizer e descrever a mesma situação.
Mas você já parou para pensar sobre isso?

O que é deixar o carro morrer? O que acontece nas peças, na mecânica do carro ou em nossa direção que leva à morte do carro?

O motivo é simples, e até óbvio: o motor é o responsável por gerar força que vai fazer o carro se movimentar, mandando essa força para as engrenagens e rodas. Se o motor mandar essa força e as rodas estiverem paradas ou parando, para onde vai essa força, já que ela não serve para girar os pneus do carro? É aí que o carro morre.

É como se o motor dissesse "Aí pneus, tomem a força pra vocês rodarem e fazerem o carro andar", e os freios dissessem: "Não, obrigado, não queremos andar, estamos parados ou parando". Então temos um impasse, um bota força e o outro bota dificuldade, querendo parar. 

Por conta dessa "confusão" mecânica, seu carro vai morrer e desligar.

Quando o carro morre

Existem uma série de ocasiões que fazem com que o carro venha a morrer, mas todas seguem aquele princípio básico de que o motor dá a força e os freios/pneus não querem receber essa força, querem ou estão parados.

Ou seja, o carro morre por estar nesse dilema.

Vamos agora falar sobre as principais ocasiões em que os carros morrem, explicar o motivo disso ocorrer (somente sabendo o motivo é que você vai aprender a dirigir bem e se tornar um bom motorista) e claro, ensinar e dar dicas sobre como não deixar o carro morrer nunca mais.

Você verá como dirigir um carro é fácil com a ajuda do Carro Fácil.

Carro morrendo ao frear

Um situação comum em que seu veículo morre é quando você está andando no seu carro, o motor está dando a força para engrenagens através das marchas para que essa força chegue nos pneus, para eles andarem, correto?

Se você pisar no freio até o carro parar totalmente, vai acontecer o dilema: o motor vai dar força, e você tá freando, fazendo com que os pneus parem.

A solução para isso é simples: evite que o motor passe a força para as engrenagens, isso é feito pisando na embreagem.

Por isso devemos apertar a embreagem quando estamos freando para fazer o carro parar totalmente.

Se estiver em uma velocidade mais alta, pode frear sem o pé na embreagem, vai parando o carro aos poucos, reduzindo a velocidade e fazendo os pneus girarem mais lentamente.

Mas se o carro estiver quase parando, como entrando na vaga de estacionamento ou chegando num sinal fechado, aperte a embreagem!

Carro morrendo ao sair / arrancar

Você, mesmo iniciante, já deve saber disso, mas não custa repetir: só saia com o carro de primeira marcha, senão seu automóvel vai morrer.
E por "sair" eu não me refiro só sair de casa, da garagem.

Parou no semáforo? Sai de primeira.
Parou no engarrafamento? Sai de primeira.
Parou para fazer a conversão? Sai de primeira.
Engarrafamento no viaduto ou rua inclinada? Primeira.

Ou seja, antes de sair, passe a marcha para a primeira (ou deixe na primeira), e saia nela.
Nada de sair nas outras marchas, senão seu carro morre.

O motivo dos carros morrerem ao sair é bem simples: ao tentar sair, o motor vai funcionar e criar força para movimentar o carro, concorda? Mas o carro está parado, então o motor vai mandar força e se as rodas não receberam essa potência, seu carro vai morrer pois vai estar naquele dilema..
 

Como sair corretamente com o carro, sem morrer

Agora que você já entende o motivo dos carros morrerem, vamos explicar de uma maneira simples, fácil e definitiva como dirigir bem, como dirigir corretamente para não deixar seu carro morrer.

Primeiro, coloque seu carro no ponto morto, ou seja, com a marcha no meio (ela fica mole nessa posição).

Para garantir que o carro não vá se movimentar (garagem inclinada), segure o freio e só agora ligue seu automóvel.

Aperte a embreagem até o fim, para o motor (que está no ponto morto) não se comunicar com o resto do carro.

Agora sim coloque na primeira, ou seja, você engrenou e preparou o motor para passar a força pro restante do carro, mas isso só não está ocorrendo porque seu pé está na embreagem, e ao fazer isso você corta a ligação do motor com o resto do carro.

Agora vamos sair, deixando que o motor passe a força para as rodas BEM DEVAGAR, e isso é feito soltando a embreagem BEM DEVAGAR, pois assim a embreagem vai se comunicando AOS POUCOS com as engrenagens do carro, então AOS POUCOS o motor do carri vai passando a força. E passando um pouco de força, as rodas começam a se mover. Passando muita força, o carro dá um solavanco (pois passou muita potência), e morre.

Por isso seu carro morre se você soltar a embreagem de uma vez, a força passa de uma vez também, e maneira correta de dirigir é soltando aos poucos. Mas você não deve soltar de uma vez, deve soltar até sentir uma tremedeira do seu carro, como ele tivesse pronto pra se mover.

Segure seu pé aí, nesse exato ponto da embreagem (esse é o famoso ponto de embreagem).

É nessa hora que você vai tirar o pé do freio, pois seu carro está pronto para se mover, e deve também fornecer mais força pro carro, faça isso PISANDO AOS POUCOS no acelerador, bem de leve mesmo que você vai notar ele se movendo, e só quando ele se mover você pode ir tirando totalmente o pé da embreagem.

Como frear o carro corretamente, sem deixar morrer

Se estiver com uma velocidade bem elevada, vá parando o carro, de maneira bem suave.
Não deixe para parar em cima de uma lombada ou perto de casa, comece antes, vá tirando aos poucos a velocidade do carro, essa é a maneira correta de dirigir e frear um carro.

Agora que seu carro está bem mais lento, é hora de cortar a ligação do motor com as rodas, pois os pneus não podem parar enquanto o motor estiver fornecendo força, concorda? Senão cairia naquele dilema.

E para cortar essa ligação do motor com o resto do carro, devemos pressionar a embreagem.
Pronto, agora o motor não está mais dando potência, o carro tá andando pela velocidade que tinha antes, pela inércia.

Agora sim devemos frear o carro até ele parar, portanto sempre que seu carro parar totalmente, seus pés devem estar na embreagem e no freio, sempre.

Note que durante toda esta lição falamos em DEVAGAR, AOS POUCOS e LEVEMENTE, e realmente ter calma é único segredo para dirigir um carro. As pessoas mais rapidinhas para fazer as coisas são, sem dúvidas, as que mais tem dificuldade de dirigir, e as pessoas ditas "lerdas" ou calmas são as que dirigem melhor e aprendem a dirigir corretamente, pois pressionam os freios levemente, soltam a embreagem realmente aos poucos, sentem o carro trepidar quando vai arrancar e apertam levemente o acelerador.

O segredo para dirigir bem é dirigir com calma. Apenas isso.

Fonte: http://goo.gl/eVJg6J

terça-feira, 8 de março de 2016

Veja 10 cuidados para manter seu carro impecável

Todo mundo sabe que o valor de um carro cai anualmente, mas muita gente se esquece de que a falta de cuidados básicos pode desvalorizá-lo ainda mais e, em alguns casos, dificultar muito o momento da troca. Veja abaixo 10 dicas para pôr em prática o quanto antes e assim garantir o melhor preço para o veículo:


Mas este é um cuidado importante. O sal acelera a oxidação (ferrugem) nas peças que não possuem tratamento anticorrosão. As mais atingidas são peças fundidas com alto teor de carbono, como discos de freio, cilindros de roda, bloco do motor, pinças de freio, entre outras.
1) Lavar o carro na volta da praia
Pouca gente faz isso, até porque não é fácil achar um posto que levante o carro para lavá-lo por baixo.
Mas este é um cuidado importante. O sal acelera a oxidação (ferrugem) nas peças que não possuem tratamento anticorrosão. As mais atingidas são peças fundidas com alto teor de carbono, como discos de freio, cilindros de roda, bloco do motor, pinças de freio, entre outras
2) Nada de querosene
Não se deve aplicar querosene ao lavar o carro. Este produto danifica a pintura e a maioria das borrachas da suspensão. Água e sabão neutro são suficientes para uma boa limpeza, inclusive da lataria.
Se você deixa seu carro exposto ao sol e à chuva diariamente, é bom fazer um enceramento a cada três meses.
3) Conserte os amassadinhos
Pequenos amassados devem ser reparados o mais breve possível. É comum as pessoas acumularem os serviços de funilaria e pintura e, por conta disso, deixarem de lavar seus carros. De repente, elas percebem que terão que pintar todo o carro: isso porque muitas vezes a ferrugem toma 
4) Evite manchas
Deixe seu carro longe de: goteira de cimento, óleo de freio, fezes de pássaros, gasolina, tíner, e tome cuidado ao estacionar embaixo de árvores.

Se seu carro possui manchas provocadas por alguns destes produtos é melhor levá-lo a uma oficina especializada para tentar removê-las. Cuidado: soluções caseiras utilizando materiais inadequados podem causar ferimentos e piorar o problema.
5) Cuidado com máquinas de asfalto e demarcação
Entre os poucos que podem ser resolvidos em casa, respingos de asfalto podem ser removidos da pintura com óleo para bebês. Já respingos de tinta demarcatória de asfalto (como faixas de pedestres) devem ser tirados em oficina especializada. Portanto, passe longe de máquinas de demarcação.
6) Carro repintado requer mais cuidado
Um leitor perguntou se pintura metálica requer mais cuidados do que a sólida. Depende. Carros com pintura sólida que já foram repintados necessitam de mais cuidado, pois a maioria das oficinas de funilaria e pintura utiliza o PU (poliuretano) no lugar do Poliéster (utilizado pelas montadoras). Como o PU não exige a aplicação da camada de verniz, a pintura fica mais vulnerável a manchas. Se a pintura do seu carro é original, não existem cuidados diferentes entre a sólida e a metálica.
7) Atenção no lava-rápido
Não se pode generalizar, mas, infelizmente, alguns funcionários destes estabelecimentos não recebem treinamento adequado. Todo carro deve ser lavado na sombra, começando pelo teto. No entanto, é comum encontrarmos lavadores que começam por baixo - a parte que geralmente possui terra respingada das rodas. Se o lavador encher a bucha de terra, provavelmente vai riscar toda lataria. Este fato é muito observado em carros pretos: as marcas de movimentos circulares ficam bem evidenciadas.
8) Capas nem sempre protegem
Capas plásticas não combinam com umidade nem poeira. Para cobrir um carro é necessário que o material esteja totalmente limpo e seco. Dê preferência para capas forradas por dentro e com grande ventilação.
9) Marquinha da porta do carro vizinho
Seu vizinho de garagem não toma cuidado ao abrir a porta? Já existem no mercado alguns protetores de espuma magnetizados que se coloca na lateral cada vez que estaciona o carro. Uma opção mais barata que alguns internautas citaram é a utilizar os "espaguetes" de piscina: você pendura um de cada lado do carro, amarrados com um barbante. Visualmente não é a melhor solução, mas seu vizinho de garagem vai entender o recado.
10) Polimento sem exagero
Polimentos, cristalizações, espelhamento e revitalizações são bem-vindos, porém com moderação. A cada polimento, uma parte da camada de verniz é removida através da utilização de politrizes de alta rotação associadas a massas abrasivas. Geralmente esse serviço é indicado para pinturas manchadas, queimadas de sol. Para veículos novos e seminovos, sem manchas, a melhor opção é o enceramento.

Fonte: http://goo.gl/SmPVmR